Antônio

Antônio

sábado, 12 de agosto de 2017

Antônio foi para a Disney

(Você ajuda o blog clicando nas propagandas espalhadas na página. Muito obrigada)


No aeroporto
Prezados leitores,

No início do ano fizemos nossa primeira viagem internacional com Antônio e Bento. Fomos em fevereiro para Orlando, Flórida. Um sonho para todas as crianças, com os nossos não seria diferente.

O pai e eu nos preocupamos muito, pois, seria uma longa viagem. O voo foi muito melhor do que imaginamos, chegamos bem, tudo tranquilo com a imigração. Foram muito simpáticos com Antônio, apesar dele estar com cara e humor de poucos amigos.

Descemos em Miami e enfrentamos mais 4 horas de carro até Orlando. Dica n. 1: Não façam isso! É muito cansativo para a criança ter que rodar mais 4 horas de carro. Imaginem ai o humor de Antônio.

Alugamos uma casa em Orlando, porém, não adaptada para cadeirante, os quartos eram na parte superior. Dica n. 2: Se não quiser ficar quebrada, procure uma casa sem escada. Vai por mim irmã.

Fomos em 3 parques: Disney, Universal e LEGO. Vou tratar de cada um por tópico.

45 minutos de fila pra tirar esse foto
DISNEY

No mundo "mágico", se você for cadeirante, mesmo se for um garotinho gritando a plenos pulmões, você não terá tratamento diferenciado. Você vai ter que adquirir o Fast Pass, que é o famoso fura fila dos parques. Nas intermináveis filas, fomos em poucos brinquedos, eu e ele, pois, ele não aguentava esperar tanto tempo. Minha sensação nesse parque: DECEPÇÃO TOTAL. Não foi mágico, não foi maravilhoso, foi estressante e a falta de empatia foi um divisor de águas na minha concepção. Não levaria de novo um filho meu lá.

UNIVERSAL

Diferente do parque da Disney, Antônio foi completamente acolhido, não adquirimos o Fast Pass e ele tinha preferência em todos os brinquedos. Ele amou os simuladores. Foi em TODOS os brinquedos que tinha condições de ir. O ponto alto do passeio, foi no Jurassic World, onde os monitores fizeram o possível para que ele fosse no brinquedo. Fiquei tão feliz que tive vontade de chorar, tamanha boa vontade em incluir.

Tirando as grandes montanhas russas, ele foi em praticamente tudo!

Só o amor!
LEGO

Deixei pra falar por último desse parque, pois, o amor é grande por ele. Nele eu pude presenciar a inclusão em sua plenitude da palavra.

Quando passamos pelas catracas de segurança, veio uma senhorinha e entregou a ele o "HERO PASS", achei tão acolhedor, tão maravilhoso. E o amor só aumentou durante o passeio.

O parque tem atrações para todas as crianças, desde os bebezinhos até os maiores. Foi tão bom, tão legal que fomos duas vezes nele. RECOMENDO FORTEMENTE!

Em todos os lugares que fomos, os banheiros eram 100% adaptados, com balcões enormes de pedra. O paraíso do CAT. Usamos em toda viagem o Speedicat, maravilha, super prático.

Viveu intensamente a viagem
Na viagem de volta tive muito problema em fazer o CAT nos aeroportos, não nos USA, mas, durante as nossas cansativas escalas. Fiz quase todos os CATs no chão dos banheiros, pois, as bancadas de apoio, eram aquelas retráteis que tinham limite de 15kg. Lamentável. Forrava o chão e fazia o procedimento.

Antônio voltou muito desorganizado, demorou muito para ele voltar para a rotina e senti que ele sofria com isso. Ele contraiu uma virose durante a viagem que foi realmente preocupante.

Tudo deu certo no final. Nos divertimos, os meninos conheceram outra cultura e guardamos apenas as boas memórias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário