Antônio

Antônio

sábado, 12 de agosto de 2017

Antônio foi para a Disney

(Você ajuda o blog clicando nas propagandas espalhadas na página. Muito obrigada)


No aeroporto
Prezados leitores,

No início do ano fizemos nossa primeira viagem internacional com Antônio e Bento. Fomos em fevereiro para Orlando, Flórida. Um sonho para todas as crianças, com os nossos não seria diferente.

O pai e eu nos preocupamos muito, pois, seria uma longa viagem. O voo foi muito melhor do que imaginamos, chegamos bem, tudo tranquilo com a imigração. Foram muito simpáticos com Antônio, apesar dele estar com cara e humor de poucos amigos.

Descemos em Miami e enfrentamos mais 4 horas de carro até Orlando. Dica n. 1: Não façam isso! É muito cansativo para a criança ter que rodar mais 4 horas de carro. Imaginem ai o humor de Antônio.

Alugamos uma casa em Orlando, porém, não adaptada para cadeirante, os quartos eram na parte superior. Dica n. 2: Se não quiser ficar quebrada, procure uma casa sem escada. Vai por mim irmã.

Fomos em 3 parques: Disney, Universal e LEGO. Vou tratar de cada um por tópico.

45 minutos de fila pra tirar esse foto
DISNEY

No mundo "mágico", se você for cadeirante, mesmo se for um garotinho gritando a plenos pulmões, você não terá tratamento diferenciado. Você vai ter que adquirir o Fast Pass, que é o famoso fura fila dos parques. Nas intermináveis filas, fomos em poucos brinquedos, eu e ele, pois, ele não aguentava esperar tanto tempo. Minha sensação nesse parque: DECEPÇÃO TOTAL. Não foi mágico, não foi maravilhoso, foi estressante e a falta de empatia foi um divisor de águas na minha concepção. Não levaria de novo um filho meu lá.

UNIVERSAL

Diferente do parque da Disney, Antônio foi completamente acolhido, não adquirimos o Fast Pass e ele tinha preferência em todos os brinquedos. Ele amou os simuladores. Foi em TODOS os brinquedos que tinha condições de ir. O ponto alto do passeio, foi no Jurassic World, onde os monitores fizeram o possível para que ele fosse no brinquedo. Fiquei tão feliz que tive vontade de chorar, tamanha boa vontade em incluir.

Tirando as grandes montanhas russas, ele foi em praticamente tudo!

Só o amor!
LEGO

Deixei pra falar por último desse parque, pois, o amor é grande por ele. Nele eu pude presenciar a inclusão em sua plenitude da palavra.

Quando passamos pelas catracas de segurança, veio uma senhorinha e entregou a ele o "HERO PASS", achei tão acolhedor, tão maravilhoso. E o amor só aumentou durante o passeio.

O parque tem atrações para todas as crianças, desde os bebezinhos até os maiores. Foi tão bom, tão legal que fomos duas vezes nele. RECOMENDO FORTEMENTE!

Em todos os lugares que fomos, os banheiros eram 100% adaptados, com balcões enormes de pedra. O paraíso do CAT. Usamos em toda viagem o Speedicat, maravilha, super prático.

Viveu intensamente a viagem
Na viagem de volta tive muito problema em fazer o CAT nos aeroportos, não nos USA, mas, durante as nossas cansativas escalas. Fiz quase todos os CATs no chão dos banheiros, pois, as bancadas de apoio, eram aquelas retráteis que tinham limite de 15kg. Lamentável. Forrava o chão e fazia o procedimento.

Antônio voltou muito desorganizado, demorou muito para ele voltar para a rotina e senti que ele sofria com isso. Ele contraiu uma virose durante a viagem que foi realmente preocupante.

Tudo deu certo no final. Nos divertimos, os meninos conheceram outra cultura e guardamos apenas as boas memórias.


Minha ausência

Essa sou eu
Olá pessoas! Queridos leitores!

Amigos, eu precisei de um tempo para mim. Estava muito sobrecarregada, comecei a ficar um pouco pirada, mas, estou aqui de volta.

Fiz o possível para responder todos os e-mail, as mensagens aqui no blog, lá no Youtube. Quero me desculpar se ficou alguém sem resposta. Somos muitos, somos legião, as vezes acabo me passando e deixo de responder alguém.

Quero dizer que talvez você, assim como eu precisa se dar um tempo, sabe?! Um tempo de ser a mãe de uma criança que precisa tanto de você.

Você precisa resgatar a sua identidade, ser você, voltar pra academia, fazer amigos novos, valorizar os antigos, beber sem motivo, curtir o ócio, assistir um monte de seriado, um atrás do outro. Sabe como é? Ser um indivíduo de novo.

Eu me permiti me afastar um tempo aqui do blog, deixei de gravar os vídeos, mas, estou de volta, mais forte, cheia de novidades, doida pra contribuir com quem precisa.

O que me conforta é que eu sei que você sempre está ai do outro lado, sei que você sempre entra aqui para saber notícias. Você é que sempre me motiva a seguir em frente! Obrigada mesmo!

Vamos nessa que temos muita coisa pra colocar em dia.


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Aquisição do carro utilizando o desconto para deficiente

Olá amigos e leitores!

Hoje vamos falar sobre um benefício que os deficientes possuem que é o desconto referente aos impostos para aquisição de veículo automotor. Esse desconto pode chegar até a 30% do valor total do veículo se o valor for até R$ 70.000,00 e engloba IPI, IOF, ICMS e IPVA.

É um super desconto, porém, como estamos falando de Brasil, nem tudo é um mar de rosas e isso também não seria diferente. Neste post, vou direcionar as orientações para Isenção de PNE não condutor. Vamos tratar o negócio por tópicos:

REQUISITOS

Para ter direito ao desconto, a pessoa precisa se encaixar nas hipóteses abaixo:


PEDIDO DE ISENÇÃO

1. IPI/IOF

Tudo começa na Receita Federal, não adianta entrar com pedido na União e Estado, pois, é uma sequência.

No site da Receita Federal, você vai baixar os formulários para o pedido. Clique AQUI para ir direto.

I) Requerimento de Isenção de IPI - Deficiência Física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas;

II) Laudo de Avaliação emitido por prestador de serviço público de saúde ou serviço privado de saúde, contratado ou conveniado, que integre o Sistema Único de Saúde (SUS) para:
O tempo médio de liberação da compra junto a Receita Federal é de 50 dias. Pessoas com mais de 60 anos ou portadoras de moléstia grave podem solicitar prioridade no atendimento, neste caso o processo é liberado em 10 dias. Não existe cobrança de taxas nesse tipo de atendimento.

Caso a documentação esteja incompleta, ou a Receita indeferir por algum motivo, o requerente tem 30 dias para regularizar as pendencias.

O prazo para efetuar a compra do veículo é de 270 dias, contados a partir da autorização por parte da Receita.

2. ICMS

A isenção do ICMS só será concedida se o veículo for até R$ 70 mil. Após concluída a fase da Receita Federal, você vai comparecer a qualquer unidade da Secretaria da Fazenda, no caso aqui da Bahia, nas unidades do SAC e vai seguir as orientações contidas AQUI. Se tudo estiver certinho, a liberação é imediata.

A ESCOLHA DO CARRO

Pronto, você já está com sua isenção nas mãos, agora é só escolher o carro. Nós tivemos algumas experiências ruins quando fomos olhar carro e informamos que vai ser compra PNE/PCD. Na concessionária JEEP e na Peugeot tivemos o pior atendimento que se possa oferecer a um cliente. Completamente ignorados e destratados, não recomendo. Entramos no local quase certos da compra e saímos de lá com a certeza de não voltar NUNCA MAIS.

ALGUNS LEMBRETES

1. O carro não pode ser vendido antes de 2 anos, sob pena de você ser obrigado a pagar todo o imposto que foi isento;

2. O carro precisa ser fabricado no Brasil;

3. A isenção de IOF só será concedida se o deficiente for o condutor do veículo e uma única vez.

4. O carro pode ser financiado e vai sair no nome do deficiente, independente da idade;

5. Se não quiser ter problemas, procure um despachante, as próprias concessionárias indicam profissionais que fazem esse burocrático serviço.

Boa sorte e conta pra mim sua experiência na compra de um carro com o desconto.

Forte abraço.

Você ajuda o blog clicando nos anúncios de marketing espalhados nele. Cada clique significa alguns centavos para mim! Obrigada.





domingo, 8 de janeiro de 2017

Férias escolares: como não enlouquecer

Ola amigos e leitores, 

Estamos no período de férias e estou aqui enlouquecendo! Sério, me ajudem! O que eu faço com a energia das crianças nas férias?

Gente, minha baba está de férias, estamos eu e duas crianças ativas sem ter o que fazer. Vontade de sair louca gritando.

Sei que vou receber os recadinhos de "amor" me detonando, perguntando que mãe que eu sou. Ok sister, eu sou humana e não sei o que fazer. Estou pirando.

Eu tenho que cuidar da casa, da rotina de Antônio, estou tão exausta a que não tenho estímulo nem pra estudar. Estou olhando para uma pilha de roupa para passar e me pergunto: Deus, qual o problema entre a gente, cara? 

Os meninos gritam, brigam, cobram que eu me vire em atividades, mas, eu não sei o que fazer. 

É fraqueza? Tem mãe que consegue? Pessoal, eu simplesmente não consigo, estou no meu limite. Gorda, estressada, sobrecarregada e sem dinheiro. Ahhhhhhhhh. 


Vocês ajudam o blog clicando nos anúncios dessa página. Cada clique significa alguns centavos para mim. Muito obrigada.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Preconceito na hora da matrícula.

Olá leitores e amigos,

Hoje nós vamos tratar de um tema que corriqueiramente somos obrigados a enfrentar. Todos os pais de filhos com necessidades especiais, vão experimentar, pelo menos uma vez na vida escolar o sabor amargo da rejeição e preconceito na hora de matricular o filho.

Nesse período do ano, recebo sempre relatos de pais desesperados, muitas vezes tão chocados, que não sabem nem como reagir, diante da recusa da matricula, ou solicitação para que o filho deixe a escola.

Em primeiro lugar, quero que deixar claro que, a partir do momento que uma pessoa resolve ganhar dinheiro com ensino, ela não pode dar como resposta que não está preparada para acolher um portador de necessidades especiais. Essa atitude fere diretamente a Constituição Federal de 1988, no seu artigo 227, que que lista os Direitos Fundamentais, garantindo a proteção integral das crianças e adolescentes, fere ainda a Lei 7.853

Quando ocorre a violação do direito fundamental da educação, algumas medidas podem ser adotadas, não importa se a escola é particular ou pública:

1. Em primeiro lugar, deve-se buscar uma solução amigável junto a direção da escola. Uma conversa franca, para entender o motivo da recusa. Constatado a negação do direito da criança estudar na instituição por motivo fútil ou torpe ("Infelizmente, não temos estrutura para atender seu filho..."), os pais devem requerer o pedido de matrícula, a recusa e o motivo da recusa, tudo por escrito. Essa documentação, além de não poder ser negada, servirá de documento comprobatório para um futuro processo;

2. Passado a primeira fase, a família deve se dirigir a Diretoria Regional de Ensino ou a Secretaria Municipal/Estadual de Educação e formalizar denuncia contra a instituição de ensino;

3. Por se tratar de violação de Direito Humano, outra queixa pode ser formalizada no Disque 100;

4. Para ingressar com o processo, se a família não possuir recursos necessários, pode se dirigir à Defensoria Pública, ou utilizar os serviços do advogado de confiança da família. Se a Defensoria Pública constatar que a prática é recorrente na comarca, pode ser movido, inclusive, uma ação civil pública contra a escola;

5. Se houve um constrangimento muito grande, uma queixa na polícia deve ser formalizado também.

Gostaria de deixar uma percepção pessoal sobre isso tudo. Eu já passei por essa situação, encorajo fortemente a tomar todas as medidas e processar mesmo, pois, tem gente que só aprende apanhando, porém, caso a instituição tenha esse tipo de postura, não deixe o filho de vocês lá. Lembre-se que ele é pequeno e indefeso, pode sofrer as consequências. Siga em busca de outra escola, uma que realmente acolha seu filho.

Com relação a cobrança de taxa extra, é uma prática ilegal e uma forma discriminatória, não aceite esse tipo de cobrança. Caso ocorra a cobrança, os pais devem entrar em contato com a Diretoria e requerer por escrito o motivo da cobrança, levar a Secretaria de Educação e ao Judiciário se for o caso.

Se a escola desligar o aluno arbitrariamente, sem motivo, ou se ela se negar a matricular uma criança ou adolescente com deficiência, ela fere diretamente a Lei 7.853/89 no seu Artigo 8, que diz:

Art. 8o  Constitui crime punível com reclusão de 2 (dois) a 5 (cinco) anos e multa:
I - recusar, cobrar valores adicionais, suspender, procrastinar, cancelar ou fazer cessar inscrição de aluno em estabelecimento de ensino de qualquer curso ou grau, público ou privado, em razão de sua deficiência; 
II - obstar inscrição em concurso público ou acesso de alguém a qualquer cargo ou emprego público, em razão de sua deficiência; 
III - negar ou obstar emprego, trabalho ou promoção à pessoa em razão de sua deficiência; 
IV - recusar, retardar ou dificultar internação ou deixar de prestar assistência médico-hospitalar e ambulatorial à pessoa com deficiência; 
V - deixar de cumprir, retardar ou frustrar execução de ordem judicial expedida na ação civil a que alude esta Lei; 
VI - recusar, retardar ou omitir dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil pública objeto desta Lei, quando requisitados. 

Se a criança sofrer discriminação por parte de professores, direção ou funcionários, ai amigos é crime previsto no parágrafo 3 do artigo 140 do Código Penal. Tem que denunciar mesmo. As agressões podem ser verbais, usando aquelas palavras que conhecemos bem e que doem na alma, piadinhas escrotas ou agressões físicas mesmo, mesmo que leves (empurrões na cadeira, tapas, beliscões...)

Nossos filhos tem o direito de estudar numa escola regular e que lhes sejam oferecidos um currículo adaptado para sua deficiência. São seres humanos que merecem respeito e dignidade, nada de baixar a cabeça, nada de engolir o sapo. Lutem pelos direitos deles.

Contem sempre comigo.

Você ajuda o blog, clicando nos anúncios de marketing espalhados na página. Cada clique significa alguns centavos para mim. Muito obrigada.