Antônio

Antônio

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Oportunidade

Olá amigos, hoje venho trazer uma oportunidade de tirar dúvidas sobre a mielomeningocele.

Vai acontecer em Salvador um congresso de Neurocirurgia, onde serão debatidos os mais diversos temas, dentre eles a mielomeningocele.

O neurocirurgião maravilhoso do meu filho, Dr. Tude abriu uma oportunidade para que nós, mães, pais ou cuidadores, tirarmos nossas dúvidas com relação a mielo.

Para participar, me envie um e-mail com sua dúvida, colocando a idade do portador, no yanna.rocha@gmail.com que vou encaminhar para Dr. Tude, após a triagem da pergunta, eles vão discutir e a resposta encaminho para cada pessoa.

Se você é médico e deseja participar clica AQUI e faça a sua inscrição.

As perguntas devem ser enviadas, preferencialmente em português, inglês ou espanhol.

Espero pelas dúvidas. Nesse evento os maiores nomes da neurocirurgia estarão reunidos.

Vamos aproveitar!

domingo, 27 de janeiro de 2013

Novas palavrinhas e peculiaridades

Olá pessoal nessas últimas semanas percebi um avanço no desenvolvimento cognitivo dele. Ele aprendeu as vogais e me chama, curiosamente de Mainha.

Eu chamo a minha mãe de Mainha, porém, nunca estimulei meus filhos a me chamarem assim, logo, acredito que Antônio tenha aprendido por observação, o que é muito positivo.

Percebo que a interação dele tem melhorado, ele já busca brincar com outras crianças.

Além das vogais e do mainha, ele fala titia, vovó, vovô, oi, ei, para (manda parar quando não gosta de algo).

Outro ganho cognitivo é o fato dele colocar os dedos no ouvido, quando não gosta de algumas músicas. Alguns exemplos são a música de abertura do Rei Leão e outra é uma música que Mainha cantava quando éramos pequenos e que cantei muito para eles, Bento adora, canta boa parte, Antônio sempre gostou, porém, hoje não pode ouvir. Consegui um vídeo da música cantada em espanhol por Carlos Gardel clica AQUI pra conhecer, porém, minha mãe cantava a versão de Albertinho Fortuna, eis a letra, pois, não consegui nenhum vídeo correspondente:
Silencio na noite...! Já está tudo em calma,
Os músculos dormem... A ambição descansa,
Embalando um berço, uma mãe canta,
Um canto querido, que chega a minh'alma,
Porque neste berço, está sua esperança.
Eram cinco irmãos...
Ela era uma santa,
Eram cinco beijos, todas as manhãs,
Que ela recebia em teu rosto amigo,
Esta mãe querida,
Eram cinco filhos que lhe adoravam !
Silencio na noite...! Já está tudo em calma,
Os músculos dormem... A ambição descansa,
Um clarim se ouve... Periga a Pátria !
E nos campos de guerra, os homens se matam,
Cobrindo de sangue, os campos de França.
Silencio na noite...! Já está tudo em calma,
Os músculos dormem... A ambição descansa,
Tudo já passado... Renascem as plantas,
Um hino vida, os arados cantam,
E a velhinha, de cabelos brancos,
Ficou tão sozinha, com cinco medalhas,
Que por cinco heróis, premiou a Pátria.
Silencio na noite...! Já está tudo em calma,
Os músculos dormem... A ambição descansa,
Um coro distante, de mulheres que cantam,
Embalam seus berços, com novas esperanças,
Silencio na noite!... Silencio nas almas !.....

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Os dois anos de Antônio






Há exatos 2 anos eu recebi uma missão. Nascia Antônio. Uma criança que lutou bravamente por sua vida desde o útero. Antônio veio para me mostrar que não sou auto suficiente, que o preconceito em todas as suas formas dói, que não somos nada se não pudermos doar um pouco do nosso tempo em prol dos mais necessitados. Filho, te esperei, te quis, te amo. Obrigada por você ter me escolhido.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Um bate-papo com Bento

Bem amigos, como já havia relatado, é chegada a hora de adaptar Antônio em seu meio de locomoção. Mas, vocês já pararam pra pensar como fica a cabeça do irmão mais velho com toda essa história? Gente não é fácil.

Bento, nesses últimos meses, começou a perceber que existe algo de diferente com Antônio, logo, natural que as indagações começassem. Um dia, estávamos almoçando e ele me perguntou: Mãe, porque Antônio não sobe a escada? (Nossa casa tem um andar superior). Parei de comer e senti que era o momento de conversar com Bento.

Antônio brincava no chão e eu pedi que Bento se sentasse perto dele. A perna de Antônio, fica, muitas vezes aberta, eu pedi que Bento alinhasse as pernas do irmão e perguntei como ele sentia as pernas de Antônio. Ele respondeu: mole.

Expliquei que na verdade as pernas de Antônio eram fracas, que ele não conseguia ficar de pé e que não iria andar. Bento na sua inocência me perguntou como ele ia fazer pra jogar bola. Engoli firme as lágrimas e procurei na internet fotos de crianças em cadeiras de rodas.

Bento então perguntou se ele também iria ganhar um brinquedo como aquele. Fui explicar que na verdade, aquelas seriam as pernas fortes de Antônio, que com elas ele poderia brincar de bola, correr junto com ele e ir pra todos os lugares.

Ele parou, analisou e me fez a melhor das perguntas: Mãe, a cadeira vôa? Fiquei intrigada e respondi que não e perguntei o motivo da pergunta. Ele olhou pra mim, colocou a mão na cintura e me perguntou: Como é que Antônio vai subir essa escada????

Não contive a gargalhada e falei que nós o carregariamos nos braços onde ele não conseguisse subir com a cadeira de rodas.

Nesse momento ele sentou com irmão e disse que carregaria ele no colo também. Foi lindo.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Dica de leitura

Amigos, recebi uma dica hoje da Luana, mãe do Luan, de um livro de história da coleção Ciranda das Diferenças, cujo tema é mielo.

O nome do livro é "Os Passos de Luana" da autora Marcia Honora e conta a história de um esquilo fêmea chamada Luana, que nasceu com mielo e que faz reabilitação.

Fica então a super dica!

Virose

Meus dodóis
Há dois dias, Bento, meu filho mais velho, apresentou vômitos e diarréia intensos, ficou molinho, ficamos hidratando, não cheguei a levar no médico e hoje ele já está melhor.

Estava agradecendo a Deus que Antônio não havia contraído a mesma virose, quando, agora a tarde ele começou a apresentar os mesmos sintomas do irmão. Ok! Mais algumas noites sem dormir cuidando dos bambinos.

Numa dessas "vomitadas" de Antônio, meu esposo falou uma frase que me fez refletir, ele disse: ainda bem que começou com Bento, se fosse com Antônio, você iria achar que era a válvula". Não é que ele tem razão?

Se esses vômitos tivessem começado por Antônio eu ia entrar na "nóia" de que seria a válvula. Por mais que o tempo passe, não consigo levar numa boa a danada.

Porém, pensando friamente, nós mães, precisamos colocar na cabeça, de uma vez por todas, que nossos filhos são crianças e vão ter as mesmas doenças da infância de qualquer criança dessa galáxia. Gripe, febre, virose, elas vão passar por tudo isso, e, que bom! A vida é isso mesmo.

Nossos filhos também vão cair, se machucar, pois, elas estão aprendendo, descobrindo esse mundo tão cheio de novidades, cores, texturas, sensações, não podemos privar nossos mielinhos disso. Se machucar, trataremos, se cair, observaremos, como qualquer outra criança.

O senso de preservação é mais aguçado nas mães especiais, o que é normal, mas, convenhamos amigas que chegamos a exagerar e eu sou a rainha do exagero no que diz respeito a "redoma" de cuidados. Estou tentando mudar e vou, mas, como toda mudança, elas é lenta e gradual (hihihihih)




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A Ressonância

Como havia postado dias atrás, Antônio fez sua primeira Ressonância Magnética. Apesar do exame ser complexo, demorado e barulhento, é completamente indolor, não prejudica em nada no funcionamento da válvula e o constraste utilizado não causa alergia.

Antes do exame estava meio preocupada com a questão da sedação, lembrei de quando ele ficou na UTI que cada vez que sedavam, precisam entubar e tal, mas, para a ressonância a sedação é oral, por meio de um xarope e sem maiores complicações.

Por causa da alergia ao látex de Antônio, o exame demorou um pouco a começar, pois o material precisava ser trocado. Pegaram uma veia dele, maior escandalo, e o contraste foi aplicado durante o exame.

O barulho é enlouquecedor. Quando o exame começou, pensei que ele fosse acordar no primeiro "carnaval", para minha surpresa ele ficou adormecido por quase todo o exame. Acordou faltando 3 minutos para o final.

Eu fiquei com ele o tempo todo, mesmo com o protetor auricular, tive muita dor de cabeça.


Pegamos o resultado e iremos levar para Dr. Tude no próximo dia 29/01.