Antônio

Antônio

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Adaptações para a vida

Minha estrela!
Hoje tive uma grata surpresa na Escola Nova Dimensão onde Antônio estuda. Foi confeccionada uma cadeirinha de madeira para ele.

A Escola não cansa de me surpreender, o amor, o acolhimento são de arrasar o meu coração.

As especificações técnicas da cadeira foram passadas pelo Sarah e foi fielmente executado por um marceneiro aqui da cidade. Essa cadeirinha deu mais segurança e liberdade ao meu mielinho.

Eu sou mãe de deficiente físico e adaptação passou a ser o meu lema. Quando estava escolhendo a escolinha para meu filho, reparei tudo e questionei sobre a falta de rampas, a escola providenciou e hoje temos várias rampas, favorecendo o acesso com o Caster em qualquer lugar da escola.

Hoje, quando vou a um restaurante, a acessibilidade é um dos fatores que observo, se não é acessível para meu filho, não serve para mim. Geralmente, eu deixo uma observação antes de sair, ou por escrito, ou chamo o Gerente e falo. A mudança precisa partir de cada um.

Apesar de ser lei municipal, muitos fazem ouvidos moucos. Fingem não saber, ou simplesmente ignoram o fato do deficiente não ter acesso a todos os lugares. Eu cobro, fiscalizo e faço barulho mesmo.

Até mesmo no nosso novo endereço em Salvador, fizemos uma solicitação a construtora para que fosse revisto o projeto das áreas comuns do prédio, promovendo a acessibilidade. Graças a Deus nossa solicitação foi atendida e Antônio vai poder usufruir de toda a área comum do condominio. Obrigada a Construtora Concreta!

O que buscamos é a possibilidade dele ter uma vida o mais normal possível, claro que várias barreiras ainda virão, até porque os gestores municipais nada fazem pra melhorar as vias públicas, cerceando muitas vezes o direito de ir e vir do cidadão.

É hora de começarmos a cobrar dos gestores mudanças, cobrar do vizinho que coloca o carro em cima da calçada, que planta uma á
rvore no meio do caminho... Enfim, cobrar e fiscalizar sempre.

3 comentários:

  1. puxa que alegria a escola esta se adaptando bem ao aeu filho e isso e muito bom mesmo. se todas as escolas fizessem isso com certeza ate a discriminacao acabaria. certissima vc tem que fazer barulho mesmo pra ver se as pessoas acordam pra isso... seu filho esta lindo. bjs



    realizandosonhovirtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida Marla, seria o ideal se as escolas realmente se importassem com todos os seus alunos, independente se ele é típico ou não. Tô no seu blog. Bjo

      Excluir
  2. Oi Yanna, obrigada pela visitinha la no blog, seja bem vinda, bjs

    ResponderExcluir