Antônio

Antônio

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Primeira queda de Antônio

O post hoje é de culpa. Uma culpa enorme que estou sentindo.

No dia 01/01, um domingo, dia que deveria ser de descanso, porém, é o dia que mais me canso. Estava no meu quarto, fazendo mil coisas ao mesmo tempo, Antônio no meu colo, coloquei ele sobre a minha cama, pra fazer outra coisa.

Não sei em que instante ele rolou e caiu no chão. Fui tomada por um desespero tão grande, um remorso, um misto de sentimentos ruins na verdade. Comecei a chorar muito, alto, tremia. Antônio chorava, assustado, com dor provavelmente.

Não parava de me culpar, ficava repetindo: "O que foi que eu fiz?"

Pelo fato dele ter pouca mobilidade, acabava por relaxar nessa questão da segurança, por acreditar que ele não rolaria. Pra minha surpresa ele rolou, rápido, e infelizmente acabou caindo.

Observei ele por um tempo, não vi nenhuma modificação. Como a pancada foi do lado da válvula, preciso mesmo levá-lo ao neurocirurgião, para que ele avalie se houve algum dano ao equipamento. Graças a Deus não chegou a bater em cima da DVP, pois, poderia ter sido um ferimento grave, caso isso acontecesse.

Sei que estou me cobrando demais, mas, é minha obrigação cuidar de meus filhos. Sei lá... tô pra baixo mesmo. Um dia passa

2 comentários:

  1. Yanna,

    Qual a criança que nunca caiu? Vc conheçe alguma ? Pq seria diferente com o Antônio?
    Apesar de não gostarmos, quedas fazem parte do desenvolvimento dos nossos filhos, é sinal que ele está se desenvolvendo, vencendo etapas ,ficando traquina.
    A preocupação com a valvula sempre irá existir, no entanto, com o tempo ele mesmo aprenderá a se proteger, mas pra isso, é preciso que ele viva a infância como qualquer outra criança.
    Machucados, hematomas, dodóis e tudo mais, fazem parte da infancia de qualquer criança. Fica tranquila, que o acontecido serve pra percebermos o quanto ele tá esperto, rolando mais rápido do que vc imaginaria.
    Bjs.

    Helena

    ResponderExcluir
  2. Yanna,

    Éntendo seu desespero e seu sentimento de culpa.Toda mãe acha que pode proteger seu filho de tudo, mas no fundo sabemos que não somos perfeitas, super heroínas, infalíveis. Somos seres humanos! E mesmo sabendo disso tudo ainda assim nos culpamos.
    Você pelo menos notou que a mobilidade dele não é tão deficiente não é? Olha que maravilha! Que avanço do garotão!
    Você é uma mulher de muita força, uma mãe inacansável e Antônio e Bento terão smepre muito orgulho de vc!

    beijos

    ResponderExcluir